123

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Sucessão na Secretaria de Agricutura do Estado.

Anselmo, de volta Câmara Federal.
Conforme indicamos noutro post, a eleição do deputado federal Mauro Nazif, do PSB, para prefeito de Porto Velho, implica em abrir vaga para seu suplente em Brasília. Assim deverá assumir o nosso companheiro Anselmo de Jesus, qua atualmente ocupa o cargo de Secretário de Estado da Agricultura e Regularização Fundiária, no governo de Rondônia.

Em reunião do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores, que aconteceu na cidade de Jarú, foi avaliado se havia interesse político do partido em continuar fazendo parte do secretariado do Governador Confúcio Moura, do PMDB. A decisão foi a de continuar, desde que com mais autonomia e sem os boicotes e travas que se viu até agora.

Façamos um rápido restrospecto. Durante a realização da feira de negócios e tecnologia entitulada "Rondônia Rural Show" em Ji-Paraná, o maior evento realizado neste governo do Dr. Confúcio, e que só foi realizada graças ao decisivo apoio dos ministros petistas Afonso Florence e Pepe Vargas, do MDA; houve um nítido boicote de outras Secretarias de Estado. As ações de piscicultura, que por incrível que pareça não estão a cargo da SEAGRI e sim da Secretária de Desenvolvimento Econômico, cujo secretário é do PMDB, não se fez presente, apesar de ser uma atividade rural por essência e de grande demanda tecnológica. A divulgação da feira, que ficou a cargo do pessoal da Decom do Gabinete do Governador, foi realizada muito timidamente, talvez movida pelo ciúme da visibilidade conseguida pela SEAGRI sob gestão petista do secretário Anselmo de Jesus.  A divulgaçaõ daquele evento só aconteceu devido o apoio decido do Senador Acir Gurgacs, do PDT, que disponibilizou a sua rede de tv, rádio e jornal. Apesar do indisfarçável boicote a feira foi um sucesso e mais de trezentos milhôes de reais foram alí negociados, sem contar com os desdobramentos pós evento. A grande estrutura de transporte montada garantiu a presença de agricultores de todos os 52 municípios com deslocamento em coletivos díarios durante os quatro dias de feira.

Outro trabalho que o Dr. Confúcio tem mostrado com grande alarde ao público, é o da regularização fundiária. As festas de entrega de títulos de terra, mobilizam e reaniman as comunidades rurais e são atos concretos de realização neste mandato. Isso acontece devido a participação petista na SEAGRI, que agrega a este governo toda a experiência acumulada quando o PT respondia pelo programa Terra Legal e pelo INCRA em Rondônia.

O programa de agroindústria familiar de tão bem gerenciado pela companheira Lurdinha, lhe deu visibilidade e reconhecimento público suficiente para elegê-la prefeita de Médici, na região central do Estado. A coordenadoria se transformou numa verdadeira incubadora de novos empreendimentos de agroindústria familiares. Muitos equipamentos foram entregues a associaçoes e dependem de outras medidas de apoio governamental que não pode parar afim de cumprir a meta do governo de concluir 800 plantas instaladas e operando até o final do mandato.

A agência de defesa sanitária Idaron tem sido outro orgulho da gestão petista no governo Confúcio. A recente aprovação do plano de cargos e salários mostrou aos técnicos a importância que lhes atribui o seu presidente, o economista Marcelo Henrique, que sabe que serviço público de qualidade se faz com servidores públicos respeitados e valorizados. Apenas a Emater não conseguiu ainda realizar um trabalho a altura do que pode o companheiro Elisafan Sales, porque o Dr. Confúcio colocou alí como adjunto uma pessoa que não se sintoniza.

Se for para continuar no governo então que seja com maior autonomia. Acaso o governador assinta, o partido tem diversos companheiros preparados para a missão. Nomes como o do atual secretário municipal de meio ambiente em Porto Velho, José Carlos Gadelha; o do deputado estadual Ribamar Araújo; Ednéia Gusmão que hoje é responsável pela Coodenadoria de Regularização Fundiária na SEAGRI; Antonio Deuzemínio, atual adjunto da SEAGRI; Lázaro Dobri, atual presidente da FETAGRO, Amauri Guedes, ex-vice prefeito e ex-secretário de Agricultura de Ariquemes na época do prefeito Confúcio;  Francisco Chagas, ex-superintendente da CEPLAC em Rondônia; Olavo Nienow, ex-delgeado do MDA e ex-superintendente do INCRA em Rondônia; e até o do companheiro Roberto Sobrinho, atual prefeito da capital, quem tem uma passagem marcante na coordenação do programa Fome Zero e é um dos genitores do Programa de Aquisição de Alimentos - PAA, com sua decidida intenvenção junto ao Presidente Lula na defesa da CONAB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário