123

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Luta pela Terra na Amazônia prossegue.

Nova ocupação surge no sul do Amazonas, município de Canutama.

Há mais de 08 meses que famílias estão ocupando uma área na linha 17 da BR319 á 17 km de Porto Velho, município de Canutama/AM. Segundo informações, esse número de famílias já está em torno de 400.

As famílias já estão com seus barracos construídos e se organizando em associação e buscando apoio de autoridades e órgãos competentes.


 Acampamento Sílvio Rodrigues: Tiroteio e esperança
Acampamento do MST Sílvio Rodrigues, em Alvorada do Oeste RO -  Foto Lenir
Mais de setenta famílias acampadas as margens da rodovia que liga Presidente Médici a Alvorada há mais de três anos esperam a vistoria do INCRA nas terras do Italiano para que a mesma seja destinada para o assentamento das famílias. O Acampamento Sílvio Rodrigues é o exemplo claro de que as pessoas que estão debaixo da lona preta em condições precárias esperam providências para que o Estado faça cumprir a função social da propriedade: terra para quem nela mora e produz.
 
Sem a esperada vistoria, as famílias ficam a mercê de acidentes ocasionados pelo fluxo de carro na estrada e agora tem que conviver com os tiros vindos da fazenda do Italiano, onde jagunços armados apontam suas armas para o acampamento e disparam.
Os acampados já pediram providências as polícias locais que não tomaram nenhuma medida enérgica para desarmar os jagunços. Por outro lado, os acampados teimem por suas vidas, já que o fazendeiro espera uma intervenção conflituosa com os acampados para impedir novamente a vistoria na área e assim conseguir-se manter de forma irregular a fazenda.
 
Conversando com as famílias percebe-se o desejo claro de serem assentadas em suas terras e poderem produzir e viver com dignidade, pois, é muito tempo que estão às margens da estrada esperando essa fadada Reforma Agrária, que não chega. Em suas falas, os acampados demonstram esperança de que o INCRA resolva a situação e entregue a terra esperada para o devido plantio antes que termine a temporada da plantação desse ano, pois, estão cansados de verem seus filhos ameaçados por carros e balas. 

Dia 30 de novembro haverá audiência pública para tratar do assunto, audiência em que os acampados esperam ser ouvidos e atendidos, pois, já estão cansados de esperar pelo Estado para que possa ter acesso a terra para plantar e viver com dignidade!

(Lenir Correia Coelho – Assessora Jurídica da CPT/RO)

fonte: http://cptrondonia.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário