123

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Hermínio fugiu para não ser expulso do PT

O portal de notícias regionais Rondoniaovivo publicou declaraçoes do Presidente da Assembléia Legislativa sob a manchete: Roberto Sobrinho sabia dos desvios na EMDUR e tinha participação - diz Hermínio Coelho

A publicação diz, in verbis, que: "Crítico ferrenho das administrações estadual e, principalmente, municipal o presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE/RO), Hermínio Coelho (PSD), concedeu uma entrevista na última terça-feira, 04, e escancarou sua aversão ao prefeito Roberto Sobrinho (PT), a quem chamou de “quadrilheiro”. Durante a conversa o presidente da ALE afirmou que agora é bandido denunciando bandido..." (grifamos) (*).

Eleito pelo Partido dos Trabalhadores, Hermínio fugiu para o PSD afim de não ser expulso. Sua atitude de produzir acusações levianas ficou insustentável no PT desde que fez, da tribuna do parlamento estadual, outras tantas denúncias contra o companheiro Roberto Sobrinho, prefeito de Porto Velho. Sob o manto covarde da imunidade parlamentar suas acusações não precisavam ser sustentadas com provas. Porém esqueceu o verborrágico ex-sindicalista que o PT tem um estatuto e que neste normativo partidário toda acusação contra qualquer filiado precisa ser sustentado por provas materiais. Diante daquelas seríssimas acusações, nossa tendência entrou com documento junto ao Diretório Estadual para que o parlamentar apresentasse os documentos que ele alegava ter. Se apresentasse e fossem verdadeiras, o Partido teria que disciplinar o companheiro prefeito. Se não apresentasse ou não as tivesse, o PT teria então que disciplinar o então "companheiro" deputado. Um dos dois seria expulso.

Acusações sem provas = leviandade.

Hermínio não apresentou as provas e, para não ser expulso, fugiu para o PSD do fazendeiro e deputado Rubens Moreira Mendes e capitaneado nacionalmente pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Como cidadão o deputado Hermínio deveria fornecer as provas que tem (se é que tem?) ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas. Ou ele não tem provas ou é cumplice. O certo é que não vai ser com acusações levianas que ele vai reverter os 71% de aprovação popular da gestão do prefeito Roberto Sobrinho em Porto Velho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário