123

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Servidores do INCRA e do MDA fazem manifestação no Palácio do Planalto durante discurso de Dilma

Cerca de 10 servidores do Incra e MDA realizaram uma façanha na manhã desta quinta-feira (28/06) ao entrarem no Palácio do Planalto, em Brasília, durante o anúncio do Plano Agrícola e Pecuária para a safra 2012/13 e fazerem uma manifestação destacando a greve nos órgãos. Os servidores entraram no Palácio e somente quanto a presidente Dilma Rousseff discursava eles vestiram os coletes da greve e levantaram uma faixa com a frase: “MDA / Incra em Greve”. Um mapa da greve no Incra, com a adesão de 25 das suas 30 superintendências regionais, também foi exibido aos presentes.

O gesto foi o bastante para atrair a atenção da própria presidente da República, dos convidados e toda a imprensa presente ao evento, além da segurança palaciana, que estava visivelmente constrangida pela surpresa e audácia da manifestação. No entanto, Dilma sequer citou em sua fala algo sobre os órgãos e seus servidores, muito menos sobre o movimento grevista.

Por outro lado, ao final da fala de Dilma, boa parte da imprensa presente ao evento foi entrevistar os manifestantes do Incra e MDA, que explicaram as razões que levaram os profissionais dos órgãos a entrar em greve, com destaque para o fortalecimento da autarquia e do ministério.

2ª vez na história

Em 2007, durante a greve dos servidores do Incra, uma manifestação igual a essa foi feita pelos grevistas. O fato ocorreu no dia 27 de junho de 2007, durante a cerimônia de lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2007/2008.

Vestindo coletes vermelhos, com frases pedindo plano de carreira, os servidores levantaram no início da cerimônia uma faixa com a frase “Incra em greve”, que foi logo retirada pelos seguranças do Palácio do Planalto. Durante o discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os manifestantes mais uma vez levantaram uma faixa com a frase:  “Lula não cumpriu os acordos. Incra parado”. Novamente, os seguranças retiraram a faixa das mãos dos servidores.

A resposta de Lula foi rápida. O presidente, que já havia iniciado o discurso falando em democracia, perguntou quando os “companheiros” do Incra poderiam imaginar entrar para fazer um protesto no Planalto. “Enquanto eu for presidente, o Incra pode gritar aqui, ou pode gritar lá fora. Na hora de fazer acordo, tem que sentar na mesa de negociação e fazer o acordo que é possível fazer”.

Fonte: com dados da Cnasi

Nenhum comentário:

Postar um comentário