123

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Dilma ignora Abril Vermelho e engessa o Incra


por Roldão Arruda
O Incra está quase parado. O motivo é o contingenciamento, desde a semana passada, de quase 70% dos recursos destinados ao custeio da autarquia. Um dos principais efeitos do corte, nos próximos dias, será uma brutal redução dos serviços de assistência técnica aos assentamentos da reforma agrária. Contratos já feitos terão que ser cancelados.
O mais curioso nessa decisão do governo da presidente Dilma Rousseff é o fato de ter ocorrido no meio do chamado Abril Vermelho  – nome que o Movimento dos Sem-Terra (MST) dá à jornada de ações, com invasões de propriedades rurais e ocupações de edifícios públicos, que realiza todos os anos neste mês. A jornada é feita justamente para exigir do governo mais recursos para a reforma agrária.
Outro aspecto curioso é que a redução do custeio contraria a política da própria presidente. Ela tem indicado que prefere melhorar a produtividade dos assentamentos já existentes a criar outros. Mas sem assistência técnica, dizem assessores do Incra, não há como falar em produtividade.
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, que controla o Incra, está tentando convencer o pessoal da área do Planejamento a rever o corte.  De maneira geral, não discorda da lógica geral do governo, de reduzir o custeio da máquina administrativa, exigindo que se torne mais eficiente, ao mesmo tempo que mantém os recursos para investimentos. O problema é que, no Incra, o custeio engloba rubricas fundamentais, como a assistência técnica. Em vez de gastar R$ 240 milhões neste ano com este tipo de serviço, o Incra só terá R$ 75 milhões, se o governo não mudar.
A preocupação mais urgente do MST, porém, é com o corte no Pronera – o programa de educação rural nos assentamentos. Muitos dos assentados que estão em universidades não poderão renovar suas matrículas se o corte não for revisto imediatamente.

 fonte: http://blogs.estadao.com.br

terça-feira, 10 de abril de 2012

Cuba e a reorganização do PCdoB

Existem na história da esquerda brasileira certas passagens praticamente desconhecidas. Uma delas diz respeito às relações estabelecidas entre os dirigentes revolucionários cubanos e o Partido Comunista do Brasil durante os primeiros anos de sua reorganização (1962-1964). Pouquíssimas pessoas sabem, por exemplo, que foi o pequeno PCdoB que editou, pela primeira vez em nosso país, as obras de Che Guevara e Fidel Castro. Também quase nada se diz sobre a influência cubana na construção da teoria da revolução e, mais precisamente, da concepção de luta armada dos comunistas naquele breve período. Este artigo procura jogar um pouco de luz sobre aquele episódio.

Desde 1958 a maioria do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (então PCB), seguindo a linha do XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), passou a advogar a transição pacífica para um novo regime social. Uma ala revolucionária, encabeçada por João Amazonas, Maurício Grabois e Pedro Pomar, defendia que uma mudança de regime só poderia se dar através de uma revolução.

continuar lendo>> http://pagina13.org.br

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Assentada do INCRA é assassinada em Rondônia.

por Kátia Brasil

Dinhana Nink
Uma extrativista de 27 anos foi assassinada com um tiro de espingarda, no dia 30 de março, no distrito de Nova Califórnia (200 km de Porto Velho), em Rondônia, na fronteira com o sul do Amazonas. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (4) pela Comissão Pastoral da Terra.

A Polícia Civil de Rondônia, que abriu inquérito, investiga suspeita de que a morte de Dinhana Nink esteja relacionada a denúncias de desmatamentos contra madeireiros e grileiros da região.

Nink era extrativista do Projeto de Desenvolvimento Sustentável Gedeão, criado pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). O projeto fica no sul do município de Lábrea (703 quilômetros de Manaus), na divisa com os Estados de Rondônia e Acre.

Na mesma região, em dezembro de 2011, foi assassinado o líder sem-terra Adelino Ramos, 57, que pertencia ao MCC (Movimento Camponês Corumbiara). Sua morte e, de outras lideranças do Pará, levou o governo federal a montar uma operação na região Norte.

No Amazonas, nove lideranças estão recebendo proteção policial porque estão ameaçadas de morte. Uma delas é Nilcilene Miguel de Lima, também moradora do PDS Gedeão. Ela anda com escolta armada da Força Nacional de Segurança, em razões das ameaças de morte.

Segundo Francineide de Souza Lourenço, da CPT, o nome da extrativista Dinhana Nink não estava incluído na lista de pessoas que receberiam proteção este ano. "Ela foi assassinada na frente do filho de seis anos", afirmou.

Em novembro, segundo Lourenço, a casa da extrativista foi incendiada em represálias as denúncias sobre a prática ilegal de extração de madeira dentro do projeto. De acordo com a Polícia Civil de Rondônia, não há informações sobre suspeitos envolvidos na morte da extrativista.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Prefeito Roberto Sobrinho realiza reforma administrativa

Por: Joel Elias

O prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho (PT), empossou nesta terça-feira, 03, em solenidade realizada no Teatro Banzeiros, os novos secretários que irão auxiliá-lo até o final de seu mandato, que encerra no dia 31 de dezembro. Foi a maior reforma administrativa já feita nos seus quase oito anos de gestão. Novas mudanças ainda serão anunciadas nos próximos dias.

A reforma iniciou com a saída de José Wildes, da secretaria municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), no início de março, que foi substituído por Jeoval Batista. Nesta terça-feira, foram 11 mudanças, a maioria porque o titular da pasta vai disputar as eleições municipais deste ano, quatro ao cargo de vereador, um ao de prefeito, um depende das prévias do partido para definir que eleição disputará, dois por questões particulares e três foram remanejados de pasta. “Essa é uma atitude que não gostaria de estar realizando porque, de certo modo, nos traz uma sensação de perda. São companheiros que estiveram junto conosco ao longo de mais de sete anos, e que colaboraram muito com a administração municipal, e que agora vão nos deixar para trilhar outros caminhos. Em função disso, tivemos que fazer esse ajuste na máquina administrativa”, explicou o prefeito.

Seis das 11 mudanças foram nas secretarias municipais, como na Educação (Semed), sai Maria de Fátima Ferreira e entra Ângela Aguiar, que dirigia o Departamento de Educação da Semed. Na secretaria municipal de Obras (Semob), a ex-chefe de Gabinete, Míriam Saldaña assumiu no lugar de Marcelo Fernandes. Na secretaria municipal de Assistência Social (Semas), Benedita Nascimento foi substituída por Edna Vasconcelos, que era adjunta da pasta. Cláudio Carvalho, da secretaria municipal de Transporte e Trânsito (Semtran), foi substituído por Rosa Maria das Chagas.

Outra mudança foi na secretaria municipal de Esporte e Lazer (Semes), com a saída de Klebson Lavor, que foi remanejado para a Empresa Municipal de Urbanização (Emdur), no lugar de Mário Sérgio Teixeira. Lavor foi substituído na Semes por Cleidimara Alves, que era sua adjunta. Também houve troca de secretário na pasta do Planejamento e Gestão. O ex-secretário Sérgio Pacifico deixou o lugar para o Bóris Alexandre, que era o adjunto. Pacífico assumiu a chefia de Gabinete no lugar de Miriam Saldaña.

Também foram empossados nesta terça-feira, três coordenadores. Mara Regina deixou a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (CMPPM), que passa a ser dirigida por Iara Freitas. Samuel Pessoa, da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Juventude (CMPPJ) foi substituído por Jonatan Ramos, o “Figa”, e na Coordenadoria Municipal de Turismo, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdstur), Jun Yamamoto, passou o comando para a turismóloga Natacha Rechetnicow.

Roberto Sobrinho explicou que o conhecimento da pasta foi o critério técnico adotado para a escolha dos novos secretários e coordenadores. “Temos nove meses apenas de mandato. Então não dá para fazer experiência, por isso optamos por escolher quem já conhece a pasta que vai dirigir, assim não teremos descontinuidade na execução das ações que estão sendo implementadas pela prefeitura”, disse o prefeito.

Participaram da mesa da solenidade presidida pelo prefeito, a primeira-dama do município, Lucilene Peixoto, os secretários que estavam sendo substituídos, vereadores, e servidores municipais que lotaram as dependências do Teatro Banzeiros. Dos secretários que deixam o cargo apenas dois não compareceram ao evento. Benedita Nascimento, por motivo de enfermidade de sua mãe, e Marcelo Fernandes. E dos que foram substituídos, três retomaram a cadeira de vereador: Cláudio Carvalho (PT), Mário Sérgio (PMN), e José Wildes (PT).

fonte: http://www.tudorondonia.com.br/

terça-feira, 3 de abril de 2012

OBRA DE JIRAU CONTINUA PARALISADA

Durante a manhã de hoje (02), o sindicato que representa a categoria dos o STTINCERO, ao reunir todos os trabalhadores dentro do canteiro de obras de Jirau, para passar as informações referentes ao acordo entre sindicato e empresa, foi surpreendido por um grupo de trabalhadores, pois os mesmos alegavam que as propostas ali apresentadas não estavam em acordo, foi então que se iniciou um grande tumulto. Durante a ação pedras foram atiradas pelos manifestantes para atingir outros trabalhadores e também membros do sindicato que se encontravam em cima do carro de som. O tumulto só não foi maior, pois os ânimos foram contidos pelos próprios membros do sindicato.


Durante a ação um trabalhador saiu ferido próximo a orelha, mas segundo informações o mesmo já foi medicado.

Os trabalhadores não aceitaram os termos de compromisso acordados que é o comprometimento das empresas em anteciparem R$ 220 de Cesta Básica e 7% de reajuste, isso para quem ganha até R$ 1.500,00 no salário base, para aqueles que recebem acima desse valor ficou acordado que eles receberiam R$ 200 de Cesta Básica e 5% de reajuste.

O impasse continua no canteiro de obras de Jirau, pois trabalhadores não conseguem acordo, e o que se esperava um acordo pacífico o mesmo não aconteceu. Continua uma das maiores obras do Brasil paralisada.

fonte: http://www.rondoniavip.com.br/noticia/obra-de-jirau-continua-paralisada,geral,6222.html

Vereadores de Porto Velho apoiam Cláudio Carvalho nas prévias.


O candidato reunirá a militância na quarta-feira na sede do PT.

Vereadores Bengala, Cid , Wildes e Eliseu c/ Cláudio

O secretário de Trânsito do município de Porto Velho, que volta a Câmara nesta terça-feira, 03, com a intenção de ser o candidato a prefeito pelo seu partido, Cláudio Carvalho, após vencer o primeiro turno das prévias do PT, juntamente com a ex-senadora, Fátima Cleide, vem aumentando a sua base de apoio junto à militância de seu partido.

Depois de ter conquistado diversos apoios importantes, inclusive dos outros dois candidatos que concorreram na primeira fase, Mirian Saldaña e José Neumar, recebeu nesta segunda-feira, (02), apoio de toda a bancada de vereadores do PT na Câmara Municipal de Porto Velho. Sid Orleans, José Wildes, Elizeu da Silva e Jurandir Bengala já declararam também apoio a pré-candidatura do vereador. Segundo Sid Orleans, devido à sua história política frente ao município, “aclamado pelo povo quando candidato a vereador, sendo eleito com uma quantia expressiva de votos, líder da bancada e do executivo e secretário municipal, Claudio Carvalho encontra-se mais preparado para exercer o cargo de prefeito, não desmerecendo a concorrente, que tem um trabalho importante, mas de parlamentar do Congresso, o que a torna um pouco distante do nosso povão” disse o vereador. “Ele é o candidato do povão”! Arrematou. Sid lembrou a última eleição quando Cláudio teve uma grande votação para deputado estadual e hoje é primeiro suplente com grandes chances de assumir dentro de pouco tempo.

José Wildes acredita que “como o pré-candidato sempre esteve ao lado da atual administração de maneira ativa, tanto como vereador, tanto quanto secretário, ele é quem mais conhece os problemas de Porto Velho e tem experiência e conhecimento suficiente para fazer uma excelente administração”. Elizeu da Silva, o vereador caçula da sigla, acompanhou os demais e disse estar bastante empolgado com o nome de Cláudio Carvalho. O veterano petista, Jurandir Bengala, também participou da reunião e declarou: “no que depender de mim, farei todo esforço para que nosso partido indique o nome de Cláudio na sucessão de Sobrinho, é o mais próximo do nosso povo”

Claudio Carvalho também vem fortalecendo cada vez mais suas alianças dentro da militância petista, a ala conservadora representada pelo filiado número 1, José Neumar, que também concorreu as prévias no primeiro turno, e o movimento da juventude petista apóiam o pré-candidato, inclusive a chefe de gabinete, Miriam Saldaña, que ficou como terceira colocada com apenas vinte dias de campanha, também já declarou o seu total apoio.

Nesta quarta-feira (04), acontecerá uma grande plenária na sede do Partido em Porto Velho com o tema: “Queremos Cláudio Carvalho candidato a prefeito da Capital”. Segundo o próprio candidato seu interesse em concorrer a prefeitura “se baseia exatamente na necessidade de dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado, aproveitando a administração do PT nacional, na pessoa de Dilma Rousseff, corrigir os erros cometidos e dar a nossa cidade o rumo que ela merece, o progresso consolidado” afirmou. Cláudio divide seu tempo entre o trabalho na política e a conclusão de seu curso de Direito em uma faculdade de Porto Velho.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Não basta indignação é preciso coragem para encarar a luta por mudanças

Ainda no século XII, Santo Agostinho já ensinava que “a esperança tem duas filhas lindas: a indignação e a coragem. A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las". Assim, não basta indignação é preciso coragem para encarar a luta por mudanças.

Indignados e munidos de muita coragem, alguns jovens perguntam: Que fazer? Por onde começar? - De pronto, já adianto que não há fórmulas acabadas ou caminhos recebidos por revelação divina. Na história, o futuro é como uma floresta onde ninguém ainda caminhou e portanto o caminho se fará na caminhada. Não há como antecipar e nem traçar mapas. É nas jornadas de luta que a resposta será encontrada.

Nem todos os indignados porém tem coragem para a luta por mudanças. Que existe no meio da sociedade um sentimento de indignação face ao aos esquemas de reprodução da condição presente, que esmaga o ser humano e privilegia o lucro, isso é incontestável. Esse sentimento de indignação latente pode resultar em dois encaminhamento: cinismo ou reação. A conclusão cínica leva à resignação de que as coisas são assim mesmo e não se pode mudar, que tudo é resultado da vontade divina e seria pecado lutar contra ela. Resta então a fuga às drogas, com sua falsa realidade psicodélica, ou ao fanatismo religioso, e apostar num paraiso vindouro no mundo de além.

Para os que preferem a luta e tem coragem para tentar uma atitude ativa. Precisamos organizar nossas análises teóricas, reavaliando as tentativas de subversão da realidade contadas pela história recente. Alguns vislumbres sinalizam inícios da caminhada. Por exemplo: Combater com firmeza a alienação que atinge uma grande parcela dos trabalhadores. Isso Marx já dizia, só não dizia como. Descobrir o como é tarefa nossa, hoje.