123

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Petista não rouba, se rouba não é petista.

"A imprensa brasileira que divulgou o dossiê Palocci, noticiando que seu patrimônio aumentou 20 vezes em 4 anos, o que dirá do aumento vertiginoso de 50.000 vezes da empresa da filha de José Serra (PSDB/SP) em 42 dias?
Verônica Serra, filha de José Serra, era sócia da empresa DECIDIR.COM BRASIL, já conhecida de outras reportagens. A empresa teve seu capital multiplicado por 50.000 (cinquenta mil vezes)… repetindo para você ter certeza do que está lendo: 50 MIL VEZES! E isso em apenas 42 dias"
Comentários de indignação como esse acima,  face ao denuncismo seletivo da mídia tem preenchido o Facebook de petistas. Parece que a mídia expõe efusivamente quando acham uma denúncia (na maioria das vezes infundada) sobre desvio de contuda ética de um companheiro petista. Porém quando a denúncia é contra alguém do PSDB ou de qualquer outro partido a imprensa faz ouvidos surdos, escamoteia ou isola o desvio como sendo da pessoa específica e não do partido como um todo. Usando dois pesos e duas medidas: quando o desvio é de um petista eles generalizam para todo o PT.

Ora companheiros a mídia está certa: não é novidade um peessedebista, um peemedebista, um petebista, etc..., se meterem em falcatruas, atos de corrupção, enriquecimento ilícito, roubalheira, formação de quadrilha e outras mazelas. Isso pra eles é normal. O inesperado é um petista cometer esses desvios. Nós petistas não somos iguais a esse povo.

Na operação Termópilas, por exemplo, foram denunciados 7 (sete) deputados e a imprensa só dá destaque a companheira Epifânia. Os sites chegam a babar com a notícia. Dos outros seis deputados se fala muito pouco, ou não se fala nada. Claro que todo mundo fica surpreso é com o nome da companhiera arrolada nesse lamaçãl de corrupção. Para os outros ninguem fica abismado. Eles são assim mesmo. Nós é que não somos farinha do mesmo saco.

O caso da companheira Epifânia:

Neste blog temos cobrado explicações pessoais da companheira Epifània Barbosa, nossa deputada aqui em Rondônia. Temos certeza que a companheira pode e vai provar sua inocência, mais isso leva tempo porque segue o rítmo do contraditório na investigação da Polícia Federal, conforme cada um dos acusados exerce seu direito constitucional de ampla defesa. Esse tempo entretanto pode produzir desgaste à imagem do Partido dos Trabalhadores. Recentemente, na reunião do Diretório Estadual em Jí-Paraná a companheira Epifânia, teve oportunidade de se explicar e temos de dar um crédito aos que ela falou. Achamos que seria oportuno que fosse feito uma carta assinada pela deputada a todos os militantes do PT com essas explicações.

Noutros eventos de massacre midiático de algum companheiro (porque a imprensa nos odeia e não nos dará trégua) , acho que não se deve tentar de novo essa tática de silêncio e sim de pronto municiar os companheiros petistas de todo o Estado com informação verídicas. Também os militantes não podemos ficar tentando nos justificar com o discurso de que todo mundo rouba, que isso é normal em política partidária e nós só estamos seguindo a regra do jogo. Com o PT é diferente, não admitimos corrupção. Petista não rouba, se rouba não é petista: fora com eles já.

Nenhum comentário:

Postar um comentário