123

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Deputada Epifânia entra na briga pela sucessão.

Segundo especula o jornal eletrônico RONDONOTÍCIAS:

Epifânia bate o pé, descumpre acordo com petistas e força candidatura à prefeita.

Quem imaginava que com a saída do deputado estadual Hermínio Coelho do PT, as coisas iriam se acalmar internamente no partido, na disputa pela definição do nome para suceder o prefeito da capital, Roberto Sobrinho (PT), se enganou.

O caldo engrossa a cada dia, pois a deputada estadual e presidente regional do PT, Epifânia Barbosa, bateu o pé e agora quer ser mesmo a candidata à sucessão de Sobrinho na marra, se arvorando do poder de presidenta da sigla.

O acordo inicial era que, após assumir o partido, com a morte do ex-deputado federal Eduardo Valverde, Epifânia cuidaria do PT e não mais seria candidata à prefeita da capital, ungida por Roberto Sobrinho, seu “criador”.

Mas, agora que se aproxima a data delimitada pelo partido para definir o nome para disputar a prefeitura e colocar o time na rua, Epifânia se assanha e diz que vai disputar as prévias, junto com o vereador Claudio Carvalho, aliado de primeira hora de Sobrinho, e com a ex-senadora Fátima Cleide, que tenta juntar o ‘espólio’ eleitoral dos deputados Hermínio (que foi para o PSD) e Ribamar Araújo.

Ocorre que a força de Barbosa é grande, ainda mais se ela voltar a contar com o apoio do prefeito Sobrinho. É que Roberto se sentiu preterido, após a sua ‘pupila’ assumir o mandato de deputada estadual, quando Epifânia se aproximou muito de Valter Araújo (PTB), presidente da Casa e crítico do prefeito e dos petistas.

O fato é que, seja quem for o candidato, ele vai avaliar muito bem se ‘cola’ a sua imagem com a do atual prefeito, como continuidade de um projeto político, ou se apresenta-se como o ‘novo’, dentro de uma estrutura velha.

Epifânia defende dinheiro público para fazer campanha

Caso seja a escolhida do PT para disputar a prefeitura da capital, a deputada gostaria que a reforma política, em tramitação no Congresso, fosse aprovada até lá.

Isso porque ela defende que dinheiro público deva ser utilizado para custear as campanhas eleitorais. Isso mesmo! Enquanto faltam recursos para comprar remédios, para consertar um aparelho de raio-X, para reformar uma escola, para pagar salários dignos aos servidores, investir na segurança, para estimular a geração de empregos, para cuidar dos idosos, entre tantas outras ações, os parcos recursos ainda terão que ser gastos por políticos, em campanha eleitoral.

O PT encabeça uma corrente que defende que as campanhas eleitorais sejam financiadas (custeadas) com recursos públicos. Para os petistas, que deve pagar pelos santinhos, pelos programas de rádio e televisão, pelos comícios, pelos deslocamentos dos candidatos e de sua claque, são os contribuintes.


fonte: http://www.rondonoticias.com.br/?noticia,100440,epifnia-bate-o-p-descumpre-acordo-com-petistas-e-fora-candidatura-prefeita

Nenhum comentário:

Postar um comentário