123

terça-feira, 26 de abril de 2011

Não à luta fratricida no interior do PT. Não ao stalinismo.

Deixem Stálin morto.
Interesses relacionados a disputa eleitoral no ano que vem podem gerar guerras fratricidas no seio do partido em nosso Estado. É preciso que o diretório estadual esteja atento ao aparecimento dessas fissuras. Onde já se instalaram, é preciso que o corpo dirigente estadual não se omita em intervir pelo bem do PT. Não pode ficar assistindo a luta no estilo vale tudo entre companheiros, pois dessas disputas o maior perdedor será a unidade partidária. 
Há em certos municípios,  vereadores se sentindo ofuscado pelo trabalho de outros companheiros que estão atuando junto ao executivo municipal e/ou federal. Querem, a qualquer custo, denegrir o trabalho desses companheiros junto às instâncias partidárias superiores. O espírito persecutório de Stálin se apoderou desses mediocres ocupantes de cargos parlamentares. Sem brilho próprio estão incomodados com o sucesso de outros que não se amesquinharam nos gabinetes refrigerados. 
Se o Diretório Estadual se omitir em dar um basta nessas lutas, muitas delas chegarão às esferas judiciais. Uma forma inteligente de matar na origem estas disputas antecipadas é garantir espaço à todas as partes em contenda para colocarem suas candidaturas no ano que vem e o soberano eleitor dirá quem teve razão, quem melhor fez aquilo o PT tem prometido desde que foi fundado. 

Um comentário:

  1. Não sou ligado muito em política quanto mais a partidária; acho chata e as vezes pequena, não em sua essência, mas na sua execução.
    Navegando sem pretensões e de passagem por este blog, li a curiosa mensagem e por incrível que pareça, sem conhecimento de causa, sem ter a menor idéia do que se trata eu entendi.
    Veja bem, na ultima campanha cruzei com um colega que é partidário e militante do PT, apreçado me falou que estava sumido já que estava trabalhando na campanha á todo o vapor. Olhei para o carro e era da esposa, todo destruído pelas andanças neste interior da grande Rondônia. Ai sem perder tempo perguntei, “Mas no carro da Patroa?”, respondeu prontamente e que alem disto a gasolina estava correndo por conta dele, justificou a pobreza da campanha do PT no interior do estado.
    Hora amigos, vemos aqui como diria o poeta, o ultimo “inocente do Leblon”. Se o PT não possuía recursos quem teria?
    Fiquei quieto, não é de minha conta, mas com certeza algo aconteceu... canibalismo puro... o PT comeu o PT.

    ResponderExcluir