123

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Há tempos não comungo com as ideias do prefeito Roberto Sobrinho, diz Hermínio.

Deputado Hermínio do PT
por Carlos Neves
.
Autor da ação que resultou na suspensão do reajuste de R$ 2,30 para R$ 2,60 da passagem de ônibus coletivo em Porto Velho, o deputado Hermínio Coelho (PT) – vice-presidente da Assembleia Legislativa – assegurou que a decisão judicial representa uma “vitória à população” da Capital “porque os serviços prestados pelas empresas de transporte urbano não merecem qualquer aumento. Ninguém está acima do bem ou do mal. A Justiça apenas corrigiu uma equivocada decisão tomada pelo município”.

Hermínio Coelho confessou que “há algum tempo não comungo com as ideias do prefeito Roberto Sobrinho. Se ele me ouvisse, não teria cometido tantos erros”. No entanto, deixou claro que buscou a Justiça no sentido de impedir o aumento da tarifa da passagem de ônibus porque o maior prejudicado é a população.

“A questão (ação judicial) aqui é de cidadão que está vendo a humilhação que a população passa diariamente ao utilizar o transporte coletivo de Porto Velho. Pelo que sei, o Conselho Municipal de Transporte que autorizou a majoração de R$ 2,30 para R$ 2,60 não está nem regulamentado. Jamais poderia ter feito isso. Tanto é verdade que a Justiça, através de liminar, suspendeu os efeitos do aumento sob pena de multas pesadas contra as empresas de Transportes. Por isso, não acredito em derrubada da liminar e estou convicto que não haverá reforma (derrubada) da decisão da juíza quando da análise do mérito da nossa ação”, explicou Hermínio Coelho.

Por haver trabalhado no sistema de transporte coletivo de Porto Velho e até haver presidido o sindicato dos trabalhadores do setor, Hermínio Coelho chegou a comentar que “hoje as empresas de transporte coletivo da Capital arrecadam cerca de R$ 6 milhões/mês e que a multa estabelecida pela Justiça é até baixa, mas não acredito em desrespeito à decisão judicial”. O deputado é de opinião que a população tem reclamado mais sobre a qualidade do serviço prestado pelas empresas, não apenas do valor fixado para o preço da passagem. Por conta disso, vai continuar defendendo o setor de transporte coletivo na Assembleia Legislativa.

O vice-presidente da Assembléia Legislativa disse que, pelo que conhece o setor, seriam necessários 215 ônibus para melhor o atendimento à população, “mas a prefeitura de Porto Velho não gosta de dar atenção ao cumprimento das leis que regem o setor. Sei que há várias leis aprovadas pela Câmara de Vereadores e que até agora não foram cumpridas. Tem uma que vai passar a vigorar dentro dos próximos dias e que visa colocar dois ônibus por linha e manter a regularidade do transporte, além de outras coisas. Vamos ficar atentos na aplicação da norma. A não observância resultará em novas ações na Justiça. Pelo serviço prestado pelas empresas, o preço da passagem de ônibus em Porto Velho não poderia ser superior a R$ 0,50. O que temos presenciado é a total omissão da Semtran de Porto Velho”, completou Hermínio Coelho.

fonte: http://www.rondoniadinamica.com/ler.php?id=23137&edi=1&sub=3

Nenhum comentário:

Postar um comentário