123

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Confúcio anuncia monitoramento de resultados e combate à corrupçao.

No evento de transmissão de cargo de Secretário Executivo da EMATER, que ocorreu no dia 15 no Centro de Treinamentos em Ouro Preto do Oeste, o Governador Confúcio Moura (PMDB) disse em seu discurso que a SEDAM foi até agora local onde a corrupção grassou livremente. Segundo ele, não é possível que o serviço de fiscalização seja feito por funcionários de cargo comissionados e com remuneração tão aviltadas. Garantiu que no seu governo a fiscalização será realizada por funcionários públicos concursados e com conhecimento de causa. Ao discurso do senhor governador, acrescentamos uma máxima corrente no serviço público, que diz: "onde se cria muita dificuldades é o local propício para se vender facilidades". Temos certeza que a Secretária Nanci Maria (PCdoB) reverterá este triste perfil da SEDAM.

Aos técnicos da EMATER, o governador quarantiu que não haverá perseguissão por atividades do último pleito. É sabido que nos governos passados os técnicos eram tratados como cabos eleitorais forçados e a EMATER compreendida como um imenso curral eleitoral. Confúcio deu carta de alforria a todos os ematerianos e anunciou que vai cobrar apenas resultados na assitência técnica medida pela elevação da participação da agricultura no PIB estadual.

Sobre a medição de resultados, o governador anunciou que o ex-ministro Roberto Mangabeira Unger e o ex-secretário de planejamento do Acre, Gilberto Siqueira serão convidados para, a cada 90 dias, realizarem monitoramento dos avanços. Quem não der resultado, seja em qualquer escalão do governo, será substituído.

Também estiveram na reunião o Secretário de Agricultura, Anselmo de Jesus (PT); o Presidente da IDARON, Marcelo Henrique (PT), o Deputado Federal eleito Carlos Magno (PP), alem de outras autoridades.

O recado do senhor governador está dado. Vamos esperar para ver se não é só discurso. Aos nossos companheiros que estão no governo aconselhamos cuidado na escolha do seu segundo escalão: vamos escolher gente de resultado; técnicos com capacidade de fazer acontecer. Vamos nos lembrar do governo Raupp do qual saímos sem mostrar nenhum resultado, tendo como desculpa o massacre de trabalhadores em Corumbiara. Naquela oportunidade muitos companheiros preferiram sair do PT do que abandonar seus cargos de primeiro escalão. Hoje, ainda temos muitos carreiristas, robertistas e oportunistas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário