123

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Iriny Lopes ocupará Secretaria Especial de Política para as Mulheres.

A deputada federal Iriny Lopes (PT-ES) vai ocupar a Secretaria Especial das Mulheres no governo da presidente eleita, Dilma Rousseff. Aos 54 anos, Iriny foi reeleita em 2010 para o seu terceiro mandato na Câmara dos Deputados. Seu trabalho como parlamentar inclui a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Casa, em 2005. Iriny também já integrou o Conselho de Ética da Câmara e foi relatora do processo que culminou na cassação do ex-deputado André Luiz, do Rio de Janeiro, flagrado num diálogo em que tentava extorquir 4 milhões de reais do empresário de jogos Carlos Cachoeira. Em 2009, foi relatora da CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas, em que pediu o indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity. Deve-se à ação dos deputados dessa CPI o desmantelamento de um complexo aparelho clandestino de espionagem criado dentro do estado para bisbilhotar a vida de ministros, magistrados, advogados e jornalistas - em síntese, o embrião de um estado policial que contava com o aval da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o apoio de membros da Polícia Federal e a simpatia e conivência de alguns juízes e procuradores da República. A deputada está no PT desde 1984. Ela pertence a tendência Articulação de Esquerda e chegou a integrar a chamada “bancada agrária”, simpática ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

Nenhum comentário:

Postar um comentário