123

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Pseudo ecologista que não vê as raízes.

Marx disse que se a essência das coisas fosse mostrada diretamente pela sua aparência, então toda a ciência seria desnecessária. Também a realidade social não pode ser percebida diretamente pelos sentidos, senão pela atividade racional da mente humana. Por exemplo: que nosso planeta não é um estoque infinito de recursos naturais e que o meio ambiente está dando alertas de desequilíbrio, isso todo mundo percebe em algum grau, desde o desconforto até o alarmismo. Detectado o problema, a mente é então desafiada a buscar solução. Nisso o brasileiro em geral chega às raias da arrogância, pois mesmo não sendo especialista na área, gosta muito de dar palpite e briga defendendo sua prescrição como se fosse a verdade divinamente revelada. Muitos remédios propostos, na verdade apenas combatem os sintomas da doênça e não atacam a verdadeira causa. O movimento ecológico e as suas palavras de ordem, quando chegam à opinião pública na versão contada pela grande mídia burguesa tem esse defeito do diagnóstico ligeiro e irresponsável. Na verdade colocar a agressão ao meio ambiente na conta dos capitalistas selvagens, ou de homens que agem por maldade espiritual e que para correção, ou solução, basta o amansamento do regime capitalista pelo conversão da alma dos executivos vorazes. Isso é uma grande estupidez, inteligentemente montada pela classe dominante e o baronato da mídia.

Os recursos naturais possuem valor econômico que pode ser metamorfoseado em capital financeiro apropriado para uso particular de alguns poucos. Não é absolutamente possível um capitalismo amansado e ecologicamente correto a não ser que este seja regulado pelo poder estatal. Nesse sentido é inconcebivel a associação entre movimento verde e o neoliberalismo, este último tão ardentemente defendido pelo PSDB. No neoliberalismo o estado deve ter tamanho mínimo e regulado apenas pela força da lógica de mercado. De outro lado, a lógica de mercado é pela maximização do lucro, sem peias ou regulamento. Pergunto: Como um estado, concebido para não regular, pode regular a lógica do capital, que é a do lucro acima de todo outro interesse?

Se quem defende o controle do mercado pelo interesse social, mediado pelo poder estatal, é considerado de esquerda. Então é forçoso concluir que não pode existir Movimento Verde fora da esquerda. Se não for assim é apenas mais um movimento para confundir e tirar o foco das pessoas sérias que realmente se preocupam com os destinos do nosso planeta, e antes do nosso Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário