123

quarta-feira, 17 de março de 2010

Baixaria na campanha presidencial 2010

A histeria ideológica contra o PT, acentuada nas últimas semanas, deve ser vista, neste sentido, como uma jornada de formação política: os representantes políticos da burguesia querem convencer suas bases de que todos correm sério risco, caso Dilma vença as eleições.

O roteiro básico desta “jornada de formação política”, promovida pela direita, é o seguinte:

1) reconhecer os aspectos positivos do governo Lula;
2) dizer que estes aspectos positivos decorrem da continuidade das políticas do governo FHC;
3) apontar que Lula teria recebido uma grande ajuda da conjuntura internacional;
4) afirmar que os aspectos negativos do governo Lula decorrem principalmente da influência do PT e da esquerda;
5) dizer que Lula teria conseguido, devido ao seu temperamento pessoal e força política, manter o PT e as idéias de esquerda sob certo controle;
6) mas que Dilma, por seu temperamento e por não ter força política suficiente, não conseguirá controlar os radicais;
7) motivo pelo qual o governo Dilma, ao contrário do governo Lula, causará graves danos para as liberdades do Capital.
Trata-se, como é evidente, de uma visão distorcida dos fatos. Em primeiro lugar, os aspectos negativos dos últimos anos decorrem, exatamente, da herança maldita do governo FHC. Esta herança teve enorme influência, durante o período em que Palloci foi ministro da Fazenda. Esta influência teve conseqüências políticas deletérias, com destaque para as derrotas eleitorais de 2004 e para a crise de 2005. As bases do Partido reagiram a isto votando nos setores que faziam oposição ao conservadorismo da política monetária;

[Click aqui e veja no Pagina13 o artigo completo do companheiro Valter Pomar.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário